Compreender a cirurgia de revascularização do miocárdio

A cirurgia de revascularização do miocárdio, ou RM , é um procedimento para restaurar o fluxo sanguíneo saudável para o coração. Muitos pacientes ficam surpreendidos ao saber que uma operação de ponte de safena inclui na verdade dois procedimentos cirúrgicos.

  1. Em primeiro lugar, um ou mais vasos sanguíneos saudáveis são removidos (ou coletados) do peito, perna ou braço para serem utilizados na criação de uma ou mais pontes.
  2. Em seguida, o cirurgião cria a ponte, ou desvio, em torno da artéria ou artérias danificadas ou bloqueadas no coração, utilizando os vasos coletados.

Com estas pontes novas, o coração pode então receber o tão necessário fornecimento de sangue.

Coração com ponte

A ponte como parte da cirurgia

Ao utilizar um vaso do braço ou da perna, o cirurgião liga, ou enxerta, uma extremidade do vaso recolhido à aorta, o que permite o fluxo sanguíneo para o enxerto. A outra extremidade é ligada à artéria coronária que tem um bloqueio, contornando a porção bloqueada da artéria coronária para restaurar o fluxo sanguíneo para o músculo cardíaco.

Não é raro um cirurgião realizar um ou mais destes enxertos durante uma operação. Dependendo de quantos enxertos de bypass o cirurgião realiza, tal pode ser referido como bypass duplo (2), triplo (3), quádruplo (4) ou mais.

A ponte como parte da cirurgia

Ao utilizar um vaso do braço ou da perna, o cirurgião liga, ou enxerta, uma extremidade do vaso coletado à aorta, que fornece sangue ao coração. A outra extremidade é ligada à artéria coronária que tem um bloqueio, contornando a porção bloqueada da artéria coronária para restaurar o fluxo sanguíneo.

Não é raro um cirurgião realizar um ou mais destes enxertos durante uma operação. Dependendo de quantos enxertos de ponte o cirurgião realiza, tal pode ser referido como ponte dupla (2), tripla (3), quádrupla (4) ou mais.

A ponte como parte da cirurgia

Ao utilizar um vaso do braço ou da perna, o cirurgião liga, ou enxerta, uma extremidade do vaso coletado à aorta, que fornece sangue ao coração. A outra extremidade é ligada à artéria coronária que tem um bloqueio, contornando a porção bloqueada da artéria coronária para restaurar o fluxo sanguíneo.

Não é raro um cirurgião realizar um ou mais destes enxertos durante uma operação. Dependendo de quantos enxertos de ponte o cirurgião realiza, tal pode ser referido como ponte dupla (2), tripla (3), quádrupla (4) ou mais.